Entrevistamos o Centro de Informação Tecnológica e Estratégica da Baía de Cádiz (CITEBAC), uma plataforma de serviços de vigilância tecnológica e inteligência competitiva para as empresas dos setores Energético, Logístico-Portuário, Metal-Mecânico e Indústria Cultural da região. Trata-se de um projeto regional desenvolvido pelo Escritório Técnico de Assessoramento Empresarial localizado na Área de Projeto da Fundação Campus Tecnológico de Algeciras (Espanha), e financiada pelo Ministério de Indústria, Turismo e Comércio através do Plano de Reindustrialização da Baía de Cádiz 2011.

Falamos com Francisco José Trujillo Espinosa, Director Gerente da Fundação Campus Tecnológico de Algeciras

P: Em que contexto nasce esta iniciativa?

R: O Centro de Informação Tecnológica e Estratégica da Baía de Cádiz, CITEBAC, é um projeto financiado pela Consejería de Economia, Inovação, Ciência e Emprego da Junta de Andaluzia e o Ministério de Indústria, Turismo e Comércio, através do Plano de REINDUStrialización 2011 para a Baía de Cádiz. Tem contado com a colaboração da Universidade de Cádiz e a Câmara Municipal de Algeciras como patrocinadores a Fundação Campus Tecnológico de Algeciras.

P: Como criaram o CITEBAC?

R: Em Novembro de 2010 desde a Fundação Campus Tecnológico de Algeciras pusemos em marcha a nossa primeira ferramenta de vigilância tecnológica e inteligência competitiva denominada “Centro de Informação Tecnológica para o Impulso Empresarial” (CITIE), disponível on-line em www.citie-fcta.es. Esta estava dirigida exclusivamente aos setores considerados estratégicos para a Baía de Algeciras como: Logístico-Portuário, Petroquímico e Energético.

Ao amparo do sucesso atingido com esta ferramenta, quanto a número de utentes e utilização do portal, desde a Fundação lançamos-nos em 2011 a criação de uma nova ferramenta capaz de complementar outros setores de relevância para a Baía de Cádiz, como o Metal-mecánico e a Indústria Cultural. Assim nasceu CITEBAC.

É, por tanto, um importante fruto da política que seguimos desde a Fundação, que prima a coerência com as metas e objetivos perseguidos pela organização, como são; fomentar o impulso tecnológico do nosso tecido empresarial mais próximo, especialmente daquelas empresas vinculadas aos setores considerados como estratégicos, neste caso, para o desenvolvimento económico e social da Baía de Cádiz.

P: A que necessidades sociais pretende dar resposta CITEBAC?

R: Através desta plataforma para a vigilância tecnológica e inteligência competitiva, como fim primordial pretendemos proporcionar uma nova ferramenta às empresas para que melhorem a sua capacidade competitiva, atingindo uma maior rentabilidade através do acesso permanente à informação mais relevante de seu setor e cujos benefícios possam reverter num maior bem-estar social da região.

P: Em que consiste esta plataforma virtual para a vigilância tecnológica e inteligência competitiva?

R: Trata-se de um portal exclusivo orientado aos setores estratégicos da Baía de Cádiz, como os citados: Logístico-portuário, Metalmecánico, Energético e Recreativo-cultural. Através da análise a mais de 1.000 fontes de informação, o sistema facilita a busca de informação tecnológica e estratégica a empresas, pesquisadores, centros de investigação e entidades vinculadas, relacionado com seu setor específico.

Deste modo, através desta exclusiva ferramenta, pode-se consultar diariamente notícias, artigos técnicos, normativa, legislação, eventos, patentes, ofertas e demandas, licitaciones e ajudas ou subvenciones, relacionadas com os setores especificados.

P: Com um exemplo, pode contar-nos como um empresário ou empreendedor interessado pode utilizar CITEBAC?

R: Sim, suponhamos que há um empreendedor e um empresário interessados em utilizar a plataforma e se perguntam que utilidade poderia obter para seu projeto.

Por exemplo, um empreendedor quer pôr em marcha uma empresa de placas solares em Andaluzia. Ao registra-se como utente e aceder ao portal poderá estar ao dia de informação relevante para seu setor, poderá estar informado por exemplo sobre todas as mudanças de normativa andaluza, nacional e internacional que se produzem em matéria de energias renováveis, se for o caso, solar foto-voltaica.

Além de aceder a informação relevante, o portal oferece outras funcionalidades em “Minha zona” como, por exemplo, “Ofertas e Demandas” com as que poderá oferecer o seu produto a outros membros e contatar com potenciais demandantes de seu produto ou serviço.

Para um empresário, por sua vez, o acesso a notícias, patentes, artigos técnicos, entre outros recursos de informação relevante, pode supor uma fonte muito importante para conseguir vantagens competitivas para o seu produto ou serviço. Por exemplo, se quer oferecer um produto exclusivo que não esteja atualmente ofertado pelos seus competidores diretos, poderá melhorar o seu processo graças ao acesso e utilização proveitosa de informação relevante sobre, seguindo o exemplo, novas tendências na Europa para a exploração deste tipo de energia, onde se está demandando mais, que novos processos possibilitem a poupança de custos no estabelecimento de dita energia, etc.

Outra situação muito comum, empresários que já têm amortizado o seu investimento em Espanha e estão interessados em explorar novos mercados internacionais, se propõe, por exemplo a possibilidade de estabelecer uma filial noutro país. Através deste portal, poderá detectar novas oportunidades de negócio e solicitar ao Escritório Técnico da Área de Projetos da Fundação, sob um orçamento, um relatório específico de análise setorial num país e mercado concreto, que dê apoio à sua própria análise antes de investir.

Igualmente, poderá estar informado sobre concursos públicos e licitaciones às que pode aceder a nível nacional e internacional, em caso que deseje investir fora da sua comunidade.

P: Quem pode utilizar CITEBAC?

R: CITEBAC vai dirigida a qualquer entidade que tenha interesse em obter uma vantagem competitiva através do acesso instantâneo a informação atualizada sobre o seu setor de atividade. Convertendo-se em utentes do portal, poderão beneficiar-se das suas múltiplas vantagens para empresas dos quatro setores descritos anteriormente, associações e federações empresariais, pessoal investigador de Universidades e outros centros de formação, bem como qualquer pessoa interessada em obter a informação que mais lhe interesse para sua atividade diária.

P: Como podem ser utentes de CITEBAC?

R: Registrar-se como utente é muito simples. Só têm que aceder a www.citebac.es e registar-se com os seus dados de identificação numa breve série de passos. Uma vez registado, o utente terá acesso a informação geral gratuita e a outros serviços com valor acrescentado, isto é, mais personalizados. Para nós é importante também estabelecer um contato permanente com o utente.

É por isso que CITEBAC se define como um portal aberto a novas ideais e sugestões, desenvolvendo um feed-back com as empresas e pesquisadores, a fim de ajudar no que precisem e assim melhorar a ferramenta.

P: Para manter este portal ativo e atualizado, que atividades se desenvolvem desde o Escritório Técnico da Fundação?

R: Diariamente, os técnicos de Projetos se encarregam-se de gerir toda a informação vinculada aos quatro setores estratégicos nos que se baseia a ferramenta. Deste modo, há um labor diário e permanente de configuração de fontes de informação validadas por especialistas de cada campo, além de uma análise pormenorizada para poder discrimi­nar os dados gerados e contribuir ao utente a que resulta relevante para o seu sector de atividade. Mas o labor mais frutífero a partir desta ferramenta seria toda a informação que se pode gerar a partir da análise da informação realizado por CITEBAC. Os serviços de Inteligência Competitiva são os que oferecem um alto valor acrescentado a esta ferramenta. A partir disso, o Escritório Técnico está capacitado para satisfazer todas as necessidades específicas que emitem os nossos utentes, como por exemplo a análise de tendências num sector ou área determinada, assessoramento na gestão de projetos, busca de sócios, busca de pesquisadores ou centros tecnológicos que solucionem as suas necessidades ou carência, procura de ajudas e subvenções, apresentação a convocações públicas, etc.

P: Interessante labor, que atividades se organizão para que vos conheçam?

R: O Escritório Técnico oferece, entre suas atividades, worshops formativos para que os utentes, aprendam um manejo mais eficiente da ferramenta. Além disso, oferece-se também a possibilidade de fazer de forma individual a petição das empresas.

Dos workshops realizados até ao momento temos obtido um resultado muito favorável, principalmente em assistência. Temos capacitado já a mais de 30 empresas no CEEI Baía de Cádiz, alguns inclusive de fora da comunidade andaluza; que nos mostraram o seu interesse na ferramenta e em, alguns casos, a possibilidade de estabelecer um convénio de colaboração ou a confeção duma plataforma específica para os seus serviços empresariais.

P:Que possibilidades de desenvolvimento actual consideram que oferecem as Tecnologias da Informação e a Comunicação (TIC) para o desenvolvimento empresarial e os projetos empreendedores?

R: Falamos de múltiplas possibilidades. Em primeiro lugar, vivendo na sociedade da informação, contar com uma equipa tecnológica adaptada às necessidades empresariais resulta já uma base necessária sobre a que poder crescer oferecendo serviços e produtos que não fiquem em nenhum momento obsoletos e que, através dos meios de comunicação instantânea disponíveis, possam chegar a ser ofertados em qualquer setor a nível mundial.

Em segundo lugar, precisamente porque nos encontramos num mercado global, qualquer projeto (seja ou não de base tecnológica) requer uma rampa de impulso para estar presente em qualquer âmbito a nível internacional. A cooperação inter-empresarial utilizando as ferramentas TIC é entendida hoje por hoje como a melhor estratégia de sinergia empresarial.

P: Na sua opinião, que papel possibilitador oferecem as práticas de vigilância tecnológica para o desenvolvimento competitivo destes projetos?

R: Como dissemos anteriormente, este tipo de serviços supõe uma janela aberta ao mundo, de forma que as empresas podem não só atender o seu próprio mercado de uma forma bem mais eficiente senão que também têm a possibilidade de captar ao momento as novas tendências e iniciativas que vão surgindo no seu setor e que, sem este tipo de vigilância, seriam interessantes oportunidades de crescimento que poderiam ficar fora de seu alcance. Esta ferramenta é um elemento chave dinamizador à hora de conseguir uma vantagem competitiva num mundo tão globalizado no que a informação se move tão rapidamente que não é fácil, de forma autónoma, discernir entre a verdadeiramente útil e a que não o é tanto.

P: Para finalizar, que reflexões sobre os retos presentes e futuros resultam do vosso trabalho?

R: A Fundação Campus Tecnológico pretende impulsionar o tecido empresarial regional. Trata-se de servir de apoio para o fomento tecnológico, para o crescimento da rentabilidade e competitividade das nossas empresas. A nossa entidade, dedicada à formação (qualificar, consolidar e ampliar o emprego existente), à investigação (pesquisar, desenvolver e transferir o conhecimento e a inovação) e ao assessoramento empresarial para conseguir uma maior competitividade (assessorar, gerir e modernizar as necessidades e projetos das PME), persegue o objetivo de atingir um maior bem-estar económico e social no nosso meio. Retos que se vão plasmando na realidade e pelos que desejamos seguir lutando para manter no futuro.

Mais informação: CITEBAC

ovtt.post-categories.explore