Apresentamos ainia iWatch, uma plataforma semântica de vigilância tecnológica e inteligência competitiva desenvolvida especificamente para responder às necessidades de informação das empresas da indústria de alimentação e bebidas e reforçar a sua capacidade competitiva apostando pela inovação tecnológica.

ainia iWatch está desenvolvida pelo centro tecnológico AINIA (Espanha) e pretende integrar o conhecimento experiente do sector com as últimas novidades tecnológicas em vigilância tecnológica. Falamos com David Martínez Simarro, Engenheiro de Telecomunicação e Doutor pela Universidade Politécnica de Valencia(UPV) e Chefe do Departamento de Tecnologias da Informação e Comunicações de AINIA, para conhecer em profundidade este novo projeto.

P: Como surge esta iniciativa no seio dum centro tecnológico?

R: O projeto surge como resposta a uma necessidade detetada por todos os atores do sector agro-alimentar. Ao longo dos últimos anos temos observado que para as empresas é a cada vez mais difícil estar ao dia do que ocorre ao seu ao redor em relação à informação relevante que lhes interessa. Por um lado, a informação está mais acessível que nunca através de Internet, no entanto é tanta que o difícil se converte em ser capazes de valorizar qual é a informação verdadeiramente relevante para a empresa e como geri-la para que repercuta positivamente na melhora de nossa competitividade empresarial. Noutras ocasiões, a necessidade das empresas está em descobrir novas fontes de informação, muitas sabem o que sabem, mas não sabem o que não sabem, ou dito de outra maneira, é possível que surjam novas fontes de informação que podem ser relevantes para o negócio mas não sabem que existe. Nesses casos, as práticas de vigilância tecnológica contribuem também com um grande valor às empresas.

Por todo isso, nos propomos em AINIA desenvolver há alguns anos uma solução informática que permitisse resolver dita problemática e integrar o conhecimento de especialistas do sector de maneira continua, para que as empresas estivessem permanentemente informadas e atualizadas. E é assim onde hoje surge ainia iWatch.

P: Para este desafio de certeza que se requer uma equipa pró-ativa e multidisciplinar…é isso?

R: Sim, evidentemente. No nosso caso, o projeto é possível graças a uma equipa multidisciplinar que integra tanto especialistas em Tecnologias da Informação (semântica e algoritmos de inteligência artificial), em processos de vigilância tecnológica e especialistas no sector agroalimentar.

P: Que inovações tecnológicas incorpora ainia iWatch para que as empresas tenham o máximo proveito das TIC em vigilância tecnológica?

R: ainia iWatch incorpora tecnologias semânticas que permitem separar a informação com um nível de precisão maior e contextualizar a realidade da empresa. A semântica permite que as máquinas “percebam” o significado das palavras para assim poder tirar conclusões a partir destas de maneira automática. Por outra parte, a plataforma permite agrupar a informação em função de projetos, ideias, etc., possibilitando criar uma rede social interna da empresa onde os próprios empregados podem, por exemplo, recomendar conteúdos uns aos outros. Todo isso faz com se possa obter o máximo partido da informação através das TIC e convertê-la em valor útil para a empresa.

P: Quais são as principais características que definem a ainia iWatch?

R: ainia iWatch está composta por dois módulos: um de vigilância tecnológica e inteligência competitiva, que rastreja a informação num universo de fontes de informação de referência; e outro de gestão da vigilância para poder trabalhar todo o processo de vigilância tecnológica em grupos de trabalho.

Também conseguimos que tenha uma interface incrivelmente simples que se pode comercializar sob o formato SaaS (ou Software as a Service), o que significa que só faz falta dispor de uma conexão a Internet e um navegador para aceder à plataforma, sem investimentos nem instalações adicionais. Além disso, temos uma versão de acesso através de dispositivos móveis.

P: Para que tipo de empresas pode resultar útil esta plataforma?

R: A plataforma ainia iWatch pode ser usada por qualquer profissional do sector, porque a vigilância tecnológica é a cada vez mais, uma questão estratégica que implica a toda a organização e de qualquer tipo de empresas. Está especializada em empresas do sector de alimentação e bebidas, como podem ser: carnes, pescado, cereais, frutas e verduras, vitivinícola, etc.

Em função das necessidades específicas da cada empresa desenha-se o serviço. Temos criado diferentes níveis de serviço para que a cada empresa, independentemente do seu tamanho e características, possa gozar dum sistema de vigilância tecnológica sem ter que gastar uma grande quantidade de dinheiro.

P: Um exemplo, pode contar-nos como um empresário ou empreendedor interessado pode utilizar ainia iWatch?

R: O sistema que desenvolvemos permite ajudar às empresas a incorporar o conhecimento relevante que se gera diariamente sobre o sector agroalimentar em Internet, filtrar-lo e de uma forma adaptada a suas necessidades, com o objetivo de orientar a tomada de decisões. No caso de uma empresa, é muito simples, simplesmente trata-se de descrever que utilidade lhe estão a dar as empresas que já estão a usar o sistema. Posso pôr o caso duma empresa com um departamento de I&D que utiliza este sistema para várias coisas: uma é para que todos os membros do departamento disponham da mesma informação para realizar o seu trabalho e estejam permanente atualizados, uma coisa óbvia mas na prática não é tarefa fácil; também a estão a utilizar para gerar novas ideias de produtos e oportunidades, e se converte, inclusive, em uma maneira de organizar a informação de maneira integral, distribuída e continua para todos os membros da empresa, reportando importantes resultados para melhorar a competitividade.

O desafio agora é agilizar estas últimas fases da vigilância tecnológica, em concreto conseguir contextualizar a informação filtrada atendendo a problemas e retos específicos da cada empresa para melhorar a tomada de decisões, poupando tempo e custos.

P: Interessante labor, que atividades se organizam para que as empresas conheçam a iniciativa?

R: Temos previsto seguir com as jornadas de demonstração da tecnologia e queremos difundir também algum caso de sucesso relevante para que as empresas possam ver de forma gráfica os benefícios que supõe trabalhar com este tipo de plataformas.

Fonte: Interface de ainia iWatch

P: Desde a vossa experiência, que papel possibilitador oferecem as práticas de vigilância tecnológica para que as empresas possam melhorar a sua capacidade competitiva apostando pela inovação?

R: Para competir num meio global onde a capacidade de antecipação e reação às mudanças é chave, uma adequada integração entre as decisões estratégicas e operativas das companhias do sector é fundamental para o sucesso destas. No entanto, como dizíamos, a quantidade de informação e ruído existente em Internet e a dificuldade para que a informação correta chegue às pessoas adequadas no momento oportuno é um dos elementos que dificultam dita capacidade. É aí onde reside a importância de combinar conhecimento e tecnologia para automatizar e homogeneizar os processos tanto de vigilância do meio como a gestão de dito processo no âmbito das atividades de I&D e por extensão a todas as áreas e atividades da companhia.

A integração de soluções de vigilância do meio e gestão da informação é um ativo cada vez mais demandado nas organizações com uma vocação inovadora. A integração deste tipo de sistemas e tecnologias para a melhora dos processos de inovação e vigilância nas empresas permitem a tomada de decisões, bem como gerar conhecimento das tendências tanto em matéria tecnológica como de mercado.

P: Que papel desempenha a vigilância tecnológica para facilitar a internacionalização de empresas do sector agroalimentar a países ibero-americanos?

R: A internacionalização é uma aposta que supõe assumir riscos, e a vigilância tecnológica é um instrumento para reduzi-los. Pode ajudar a conhecer onde estão os principais nichos de clientes, as suas tendências, quem são os competidores, a legislação que se aplica em matéria de alimentação nesse mercado ou a atualidade em matéria de patentes, notícias, etc. é fundamental para ter sucesso em dito mercado.

Os sistema de vigilância permitem por uma parte diminuir dito risco ao poder orientar dita vigilância para estes mercados, bem como detetar possível situações de risco para o negócio da companhia. É por isso que cada vez mais vemos como estes sistemas se utilizam precisamente para elevar as possibilidades de sucesso empresarial nos mercados de destino.

P: Para finalizar, que reflexões pode fazer sobre vossos retos presentes e futuros?

P: Desde o “departamento de Tecnologías de la Información y Comunicaciones de AINIA” estamos a trabalhar intensamente para que as empresas do sector melhorem a sua posição competitiva, tanto através da diminuição de custos (melhora dos processos) como através de melhorar a sua conexão com o mercado e o consumidor. Desta maneira, estamos a trabalhar na melhora dos processos de produção e de integração da corrente de valor, desenvolvendo sistemas de rastreabilidade orientados à corrente produtiva, desenvolvendo sistemas que permitam predizer riscos de segurança alimentaria, a gestão de alertas alimentarias ou a recolhida de opiniões de consumidor das redes sociais. Todas estas áreas são retos que queremos alcançar para ser a cada vez mais competitivos.

Mais informação: AINIA

ovtt.post-categories.explore