Apoiar a empresas de base tecnológica universitária no caminho à internacionalização é o objetivo de RedEmprendia Landing, um programa especializado para abrir novos mercados, conhecer localmente, melhorar as estratégias de negócio internacional e afiançar laços com sócios tecnológicos na região ibero-americana.

Falámos com Diego Luis Orozco, Líder da Área de Projetos e Relações com a Empresa de RedEmprendia e economista especialista em projetos.

P: Em que consiste RedEmprendia Landing?

RedEmprendia Landing é um programa de apoio à internacionalização de startups e profissionais do empreendimento, destinado a explorar conhecimentos e novos mercados na Ibero-américa através da rede de parques de ciência e incubadoras das universidades que são membro da RedEmprendia.

P: Que objetivos tem?

O programa criou-se tendo em vista fortalecer as relações internacionais das empresas vinculadas aos nossos centros de apoio à criação de empresas, para o desenvolvimento dos seus negócios; e melhorar o intercâmbio de experiências e conhecimentos do pessoal técnico em empreendimento e inovação destas universidades.

P: O que é que procura o programa para promover esta internacionalização das empresas inovadoras?

É importante apoiar aos empreendedores para que possam conhecer melhor os novos mercados aos que querem internacionalizar-se, ajudando-lhes a gerar contactos nesses países com outros empreendedores, clientes potenciais, sócios ou distribuidores, por exemplo. Em conjunto, queremos fortalecer relações universidade-empresa no conjunto da região ibero-americana desde a liderança dos centros de apoio à criação de empresas.

P: Para isso, o que é que lhes oferece RedEmprendia Landing aos empreendedores?

Oferece a oportunidade de que o empresário desenhe o seu plano de internacionalização, que pode ter múltiplos enfoques: comercial, procura de partners estratégicos, reconhecimento de oportunidades comerciais num destino determinado ou transferência de tecnologia, entre outras opções. O técnico de empreendimento, pode desenhar um plano de reconhecimento de boas práticas ou experiências num destino da Rede. Para qualquer dos dois públicos, RedEmprendia Landing, oferece mais de 40 destinos, que é o número de incubadoras e centros de apoio à criação de empresas associados às nossas universidades (24 em 7 países de Ibero-américa). Em termos económicos, o Programa oferece uma ajuda até 1.500 euros para cobrir os gastos da viagem.

.

O Programa está dirigido a dois públicos: empresários cuja empresa tenha ao menos num ano de constituição legal e técnicos das nossas unidades de empreendimento empresarial e inovação. Para optar por um destino, o interessado deverá apresentar uma plano de trabalho, respondendo a um ou vários objetivos concretos: comércio, transferência tecnológica, conhecimento do mercado, procura de partners, etc. Essa proposta deve ser validada pela universidade à que pertence o empreendedor ou técnico e será avaliada pela universidade de destino. Todo o processo faz-se através do nosso microsite: http://www.redemprendia.org/pt/landing/inicio. A universidade de destino pode sugerir ajustes no plano de trabalho, ou não aceitar a proposta, razão pela qual o proponente deve identificar no seu plano, três destinos possíveis.

P: Que duração tem o programa? Até quando estará em vigor?

RedEmprendia Landing é uma convocação permanente. Em qualquer altura do ano, o empresário pode apresentar a sua solicitação. Outra coisa é o tempo que durará a estadia, porque depende das características do plano de trabalho que pretenda desenvolver. O normal é que tenha numa semana de duração. Alguns casos podem precisar de mais tempo, como por exemplo a montagem de sucursais que requerem que o empresário se estabeleça no centro de apoio à criação de empresas. Por suposto esta decisão estratégica tem um custo que o empresário deve estimar.

P: Poderia compartilhar connosco casos de sucesso dos empreendedores que estão a participar?

Um caso interessante foi o da empresa colombiana BIOINNCO do sector biotecnológico. Esta viajou ao Parque Científico de Madrid, e com o seu apoio conseguiu identificar partners tecnológicos para realizar validações e desenvolvimento de produtos e também a compra de tecnologias de ponta.

P: Na sua opinião, quais são os principais desafios que enfrenta uma pequena e média empresa inovadora ao querer internacionalizar-se?

O principal problema é não contar com um plano claro de internacionalização e não identificar os alcances que pode ter isso. Ter uma análise prévia das necessidades da empresa e o reconhecimento das capacidades da incubadora ou parque científico ao que se chega, podem melhorar a experiência. Por isso, RedEmprendia Landing oferece a possibilidade de chegar a um destino apoiado por um partner estratégico, ao que se pode consultar durante o desenho do plano de trabalho.

P: Que sugestões lhe pode fazer às empresas que querem entrar no Programa RedEmprendia Landing?

Fazer um diagnóstico das necessidades da empresa, que poderiam ser solucionadas através de uma viagem internacional, apoiado por um técnico da incubadora de empresas da universidade à que pertence o empresário. Depois, identificar um grupo de incubadoras onde pode ser possível encontrar uma solução para as debilidades identificadas, ou potenciar as oportunidades ou fortalezas percebidas. É ideal solicitar uma vídeo-conferencia com essas incubadoras para apresentar o plano de trabalho e fazer ajustes. Finalmente, apresentar ao microsite a proposta de trabalho.

Mais informação: RedEmprendia Landing

ovtt.post-categories.explore